PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Com medo de ser cassado, prefeito Juscelino Oliveira articula anulação da eleição da mesa diretora da câmara municipal de Açailândia

Desespero do prefeito Juscelino Oliveira com medo de ser cassado, ou seja sentir na pele o que a ex-prefeita Gleide Santos sentiu quando foi cassada pela Câmara de vereadores em meados de 2015 em uma articulação feita por ele quando ele era vice-prefeito junto com ela. 

Diante de uma péssima administração feita por ele, várias denuncias graves que marcam a gestão do comunista a frente da prefeitura de Açailândia, denuncias estas, que podem render a perda de seu mandato, segundo denuncias feitas pelo blog do Márcio Pires, a Justiça Federal já estar investigando o gestor sobre o transporte escolar no município. 

O perfil dele de "perseguidor" e fome de "poder" parecem não ter fim. 

Entenda o caso 

Desde o inicio da atual legislatura, o parlamento municipal teve dois grupos, o grupo G10, liderado pelo vereador Ceará e o grupo do prefeito com 7 parlamentares. Hoje não se sabe como estão esses grupos. 

Em meados de 2017, o então presidente da Câmara Municipal de Açailândia, Josibeliano Chagas Farias (Ceará), foi denunciado ao Ministério Publico Estadual, onde o mesmo foi afastado por suspeita de improbidade administrativa, de lá para cá uma novela começou, até então Ceará foi afastado 3 vezes, duas no primeiro mandato dele como presidente da casa e uma depois que ele assumiu o segundo mandato em 01 de Janeiro desse ano, com isso assumiu o primeiro vice-presidente da casa Epifânio Andrade (Fânio Mania). 

Em todas estas vezes os pedidos de afastamento de Ceará da presidência foram feitas na grande maioria por vereadores aliados ao prefeito Juscelino Oliveira, Cesar Costa, Anselmo Leandro e Joseli, todos aliados ao prefeito.

Quando o edital para inscrições de chapas para concorrer a mesa diretora da Câmara foi aberto de acordo com regimento da casa, até findar o prazo, apenas uma chapara liderada pelo então presidente Ceará se inscreveu, o grupo do prefeito nem se quer apareceram no dia da eleição. Segundo informações, o grupo foi orientado a não registrar chapa porque já sabiam que não teria como ganhar, já que o outro grupo tinha nove vereadores.  

Publicidade

De lá para cá, diversos pedidos de anulação da eleição foi feitos pelos vereadores aliados do prefeito, no final do ano passado o então presidente reeleito Ceará, foi afastado mais uma vez do cargo, hoje 28/01, saiu uma decisão Judicial em que anula a eleição feita em Novembro do ano passado que elegeu a mesa diretora até então, com a decisão, deixa o cargo o presidente Fânio Mania, e assume o vereador mais bem votado na eleição de 2016, que foi Cesar Costa, ele ficará no cargo e terá que convocar uma nova eleição para eleger a nova mesa diretora da casa.      

Todas estas articulações foram feitas pelo atual gestor, para tentar salvar seu mandato, já, que a nova mesa diretora estava se articulando para uma possível cassação do mandato de Juscelino Oliveira assim que os parlamentares voltassem do recesso. 

Nesse entra e sai de presidentes, quem perde é a população que fica sem fiscalização nos "serviços" públicos desenvolvidos pelo executivo municipal. 

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE