PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Policiais militares são presos em Imperatriz por suposta prática de extorsão

Três policiais militares, dois do Maranhão e um do Pará, foram presos na cidade de Imperatriz por suposta prática de extorsão. De acordo com informações do GSA – Grupo de Serviço Avançado – Francisco dos Santos Almeida, Soldado da PMPA, lotado em Marabá; Vitor Alves Ribeiro Júnior, soldado da PMMA, lotado em Buriticupu e Dany Wuely Galvão Amaral, Cabo da PMMA, lotado no Batalhão de Policiamento do Turismo, foram conduzidos, após denúncia.

O GSA recebeu uma denúncia de que um grupo de pessoas teria chegado a uma residência no bairro São José e se passado por policiais do serviço de inteligência do 3° Batalhão. Os mesmos estariam monitorando um celular roubado e que após encontrar o celular e o indivíduo que havia comprado o celular roubado, os mesmos pediram a quantia de R$ 5.000,00 para não levar o comprador para a Delegacia.
O GSA de posse das informações foi até o local e montou uma campana. Próximo do horário marcado foram abordados dois indivíduos em um Gol preto de placa HQB 3548. Logo após ao tentar realizar a abordagem a um indivíduo em uma motocicleta, o mesmo empreendeu fuga e mais a frente abandonou a moto e seguiu a fuga a pé.
Em seguida, o indivíduo que havia fugido na motocicleta entrou em contato com a PM via 190, pedindo um apoio, apoio esse que foi uma tentativa de camuflar sua participação no delito. Porém, ele foi reconhecido pelas vítimas.
Outros dois indivíduos que estavam em um Golf, tentaram empreender fuga sendo abordados já na BR-010 pela Guarnição do Bairro Sebastião Regis. Que logo em seguida foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil, onde foram autuados em flagrante, fizeram corpo de delito e recolhidos a carceragem do 3° BPM, ficando a disposição da Justiça.
Junto com eles foram apreendidos, um Golf placa OJC 8464; uma moto Titan 150 preta sem placa; três pistolas Taurus; um funcional Militar PMMA; um funcional Militar PMPA e uma CNH.
O policial Dany Wuely preso, é reincidente. Em 2017, ele e outros 14 policiais militares foram colocados como suspeitos de participar de uma quadrilha que praticava assaltos a bancos, assim como praticava tráfico e homicídios em São Luís e no interior do estado.
Da Redação com informações de Diego Emir

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE