PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Governo do Maranhão assina memorando com Butantan para fornecimento da vacina

Governo do Maranhão e Fundação Butantan assinam memorando para fornecimento da vacina contra o novo coronavírus.

Em visita à sede do Instituto Butantan, em São Paulo, nesta segunda-feira (14), o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, assinou memorando reafirmando a intenção do Governo do Maranhão em adquirir as vacinas contra a Covid-19. A CoronaVac, em fase final de testes pelo Instituto e pelo laboratório internacional Sinovac, será submetida à aprovação das agências reguladoras de saúde do Brasil e da China até a próxima semana.

O objetivo do Governo do Maranhão é garantir, inicialmente, 200 mil doses para a primeira fase da vacinação, caso o Programa Nacional de Imunização (PNI) retarde a decisão sobre a aquisição da vacina a ser ofertada para todo o país. O governador Flávio Dino e a Secretaria de Estado da Saúde estão em diálogo com o Instituto Butantan.

“A medida é preventiva. A assinatura do documento coloca o nosso estado junto aos demais que já declararam interesse na aquisição das doses da CoronaVac para dar início à vacinação com maior brevidade. O governo federal ainda está desenvolvendo a estratégia de imunização enquanto outras nações já deram início à vacinação. Esta insegurança é grave, por isso o Governo do Maranhão dá este passo para garantir as doses necessárias ao início da imunização dos maranhenses, tão logo a vacina seja aprovada”, explica Carlos Lula.

Segundo o presidente do Conselho Curador da Fundação Butantan, Dimas Covas, os estudos da CoronaVac são bem sucedidos e a confiança da pesquisa permitiu o início da produção de um milhão de doses da vacina na fábrica em São Paulo. “Já estamos com um processo adiantado de registro desta vacina e, de forma realista, tudo leva a crer que a vacina estará disponível até o fim de janeiro para a vacinação da população”, disse.

O Instituto também iniciou as obras no seu parque industrial a fim de ampliar a capacidade de produção da vacina. A estimativa é produzir 100 milhões da CoronaVac por ano. Durante a visita, Dimas Covas anunciou o envio de  doses destinadas, exclusivamente, à vacinação dos profissionais de saúde, grupo mais exposto ao vírus da Covid-19. “Neste momento, estamos firmando o compromisso do Butantan de fornecer quatro milhões de doses para os profissionais da saúde. Isto para garantir o início de uma Campanha Nacional com esta vacina”, revelou.

A reunião no Instituto Butantan também contou com a participação do secretário adjunto de Atenção à Saúde (SAAS/SES), Carlos Vinícius Ribeiro; do diretor jurídico da Fundação Butantan, Paulo Luiz Capelotto; e do diretor de Estratégia Institucional do Instituto Butantan, Raul Machado Neto.

O IMPARCIAL

Comentários

  1. O QUÊ EXISTE MUITO É MENTIRA NESSA HISTÓRIA TODA FLÁVIO DINO NÃO CONTA A VERDADE O MARANHÃO NÃO TEM DINHEIRO PARA COMPRAR VACINA ELE ESTÁ DE OLHO NOS VINTE BILHÕES QUÊ BOLSONARO LIBEROU PARA COMPRAR VACINA A VERDADE É QUE O MARANHÃO NÃO TEM DINHEIRO PARA COMPRAR VACINA O QUÊ O GOVERNADOR TEM MUITO É MENTIRA

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE