PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Quase 800 policiais respondem a processos criminais no Maranhão

Três policiais foram afastados esta semana no município de Rosário após abordagem truculenta.

No Maranhão, cerca de 783 policiais respondem a processos criminais atualmente, dentre eles 33 policiais militares e dois civis já estão presos. É o que indica um levantamento de dados feito pela TV Mirante, em São Luís.

Além disso, mais dados mostram o cenário atual sobre a violência policial no Maranhão. Aproximadamente 49 PMs e 18 policiais civis estão afastados dos serviços em razão de casos de violência.

Entre os casos de truculências policiais, está o do funcionário público Anderson Pereira, que foi agredido por um soldado há dois anos.


“A pessoa a partir do momento que carrega uma arma de fogo, tem que saber que aquilo é um objeto letal. Então, para a pessoa disparar três vezes contra outra, ele está assumindo o risco de mata’’, conta o funcionário público.Na ocasião, gravada por câmeras de segurança, Anderson Pereira aparece de costas dentro de uma conveniência em setembro de 2018. Após um comentário que ofendeu o policial Eduardo Luz Soares, ele foi atingido por um soco. Anderson passou alguns minutos desmaiado, e quando saiu do estabelecimento, o policial atirou três vezes na direção dos pés do funcionário público, que saiu correndo.

Nesta semana, em Rosário, a 46 km de São Luís, um homem foi atingido com um tiro de borracha na perna, após abordagem violenta de três policiais militares.

Nessa terça-feira (1), ainda, a identificação dos policiais foi revelada. Um deles é o cabo Paulo Vitor da Conceição Gonçalves, que comandava a ação e estava há cinco anos na polícia, o segundo policial é Leandro Siqueira, este entrou na polícia também há cinco anos e Tiago Régis Machado, faz parte da equipe apenas há dois anos.

G1/MA

Comentários

  1. Vdd semana passada em acailandia um pm atirou num carro em movimento e o rapaz ta enternado ate hj o tiro de fuzil pegou emcima do rins da pessoa q estar em estado grave ate hj

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE