PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PREFEITO ALUISIO SANCIONA LEI QUE ESTABELECE IGREJAS E TEMPLOS E TEMPLOS RELIGIOSOS COMO ATIVIDADES ESSENCIAIS EM AÇAILÂNDIA



O prefeito Aluísio Sousa (Republicanos) sancionou nesta terça-feira (13) a lei que estabelece igrejas e templos religiosos como atividades essenciais, sendo vedado o fechamento total em período de emergência e calamidade pública em Açailândia.

O projeto que gerou a lei é de autoria do vereador Fânio Mania (DEM), foi aprovado por todos os parlamentares na sessão ordinária do dia 25 de março. “Nós agradecemos a todos neste momento, agradecemos ao prefeito Aluísio por essa consciência também de estar nos apoiando, nossos pares, em nome de nosso presidente Feliberg, e dizer que esse projeto não é do vereador Fânio, mas desse conjunto que entende que  Açailândia tem essa independência de dizer como iremos trabalhar em nossos templos, em nossas igrejas”, agradece o vereador Fânio Mania (DEM).

Conforme a Lei municipal nº 603/2021, a participação dos espaços religiosos pode ter alteração de acordo com a situação local. "O município poderá por meio legal realizar a limitação do número de pessoas presentes em tais locais, de acordo com a gravidade da situação e desde que por decisão devidamente fundamentada da autoridade competente”, regulamenta o artigo 1º. “As igrejas e os templos religiosos deverão observar os protocolos da Secretaria Municipal de Saúde e da Organização Mundial de Saúde (OMS)”, completa a nova lei.

Estiveram presente na cerimônia de sanção, além do autor do projeto vereador Fânio Mania, o presidente da Câmara, Feliberg Melo (Republicanos), e os demais vereadores Thaís Brito (PDT), Dênes Pereira (PT), Bernadete Mariquinha (PSD), Cleones Matos (PSDB), Robenha Maria (PL), Odacy Miranda (PTB), Adjackson (Republicanos), e o procurador da Casa Legislativa Ricardo Melo; representantes do poder Executivo, o vice-prefeito Joaquim Ramos, e os secretários municipais Karla Janys, Claudenir dos Santos, Mauriti Soares e José Melgaço. Como também representantes dos templos religiosos: o pároco da Paróquia São Francisco de Assis, Frei Carlos; pároco da Paróquia São Sebastiao, padre Paulo; pároco da Paróquia São João Batista, padre Francildo; o presidente do Conselho de Ministros Evangélicos de Açailândia (Comea), Pastor Francisco Salvador, e outros líderes religiosos da cidade.

Da Assessoria de Imprensa

Comentários

  1. Acredito que o gestor Municipal, Sr Aluísio e Vereadores têm coisa mais importante para colocar em pauta, e não ficar querendo fazer média com os "religiosos", sem falar na aglomeração que eles estão causando. A cidade está uma calamidade, muitas famílias chorando a perda de entes queridos e eles preocupados com celebração em templo religioso. Deus é onisciente,onipresente e onipotente. Não importa o lugar aonde estivermos, por isso podemos orar de casa que Deus estará nos ouvindo. Os políticos estão preocupados com a popularidade e os votos dos religiosos e os líderes que estão nessa reunião estão preocupados com o dízimo dos fiéis. Concluíndo, todos que estão nessa reunião, não estão nem um pouco preocupados com a saúde da população.

    ResponderExcluir
  2. Os representantes das religiões afro-brasileiras de nossa cidade não foram convidados para esta reunião, nem fomos ouvidos quanto ao nosso posicionamento a tal Decreto.
    Somos uma religião de contato físico, o que dificulta o desenvolvimento de nossas manifestações e cultos.
    Estamos seguido as orientações do Ministério da Saúde, desde que iniciou a pandemia.
    Confiamos em Deus e nosso Orixás, os quais nos orientam a nos mantermos com todos os cuidados higiênicos necessários.
    Estão morrendo pessoas de todas as religiões, etnias, cor e etc, pois o vírus não seleciona ou faz acepção de pessoas.
    Espero que todos os líderes religiosos tenham os cuidados necessários para que não haja contaminação durante seus cultos.

    Nós Desejamos que essa doença seja controlada e erradica o mais rápido possível.

    Axé

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE