PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

IMPERATRIZ: MINISTÉRIO PÚBLICO PEDE INTERVENÇÃO ESTADUAL NA PREFEITURA


Pedido é motivado pela ausência de prestação de contas por parte da gestão Assis Ramos no ano de 2019, relativo ao orçamento público destinado à saúde.

O Ministério Público do Maranhão, por meio da 5ª Promotoria de Justiça Especializada em Defesa da Saúde Pública de Imperatriz, sob a titularidade do Promotor Newton de Barros Bello Neto, pediu intervenção estadual na prefeita de Imperatriz.

Caso o pedido alcance o objetivo, o prefeito Assis Ramos (DEM) deverá ser afastado e um interventor indicado pelo Governo do Estado irá comandar a prefeitura.

Um documento do MP-MA o qual o Blog do Domingos Costa teve acesso com exclusividade, direcionado ao presidente da Câmara de Vereadores Alberto Sousa (PDT), questiona o interesse do Parlamento Municipal no prosseguimento do pedido de intervenção.

O Promotor Newton Bello justifica a Representação em razão da ausência de prestação de contas por parte da gestão Assis Ramos no ano de 2019, relativo ao orçamento público destinado à saúde.

– Tentou ser “pai” dos vereadores

Embora seja datado do último dia 07 de julho, o documento chegou à Câmara de Vereadores há aproximadamente duas semanas e agora começou ser alvo de debate entre os parlamentares.

O Ministério Público sustenta que o prefeito não prestou contas quadrimestral à Câmara e diz que não existe nenhum registro da entrega dessa documentação, destacando que nenhum servidor da prefeitura esteve no Parlamento para esse fim, prova disso é que sequer audiência houve para discutir o tema.

Preocupado com a situação, o prefeito Assis Ramos reuniu com um grupo de vereadores da sua base aliada nesta terça-feira (03) a fim de barrar o pedido do MP-MA, ocorre que a conversa não saiu como esperado.

Assis pediu para que os vereadores ignorassem a hipótese de intervenção estadual proposta pela 5ª Promotoria de Justiça Especializada em Defesa da Saúde Pública, entretanto, três dos parlamentares [Alex Silva, Jhony Pan e Berson] entenderam como grave a denúncia e pediram do prefeito uma explicação convincente.

Assis Ramos apresentou uma “ata avulsa” sem qualquer registro, que não foi o bastante para convencer o trio. Novamente colocado contra a parede, o prefeito ficou furioso com os questionamentos dos vereadores e começou a bater boca com os parlamentares.

Após a reunião, Assis retirou Alex Silva, Jhony Pan e Berson de um grupo de troca de mensagens WhatsApp e afirmou a pessoas próximas que a partir de então os vereadores não teriam mais tratamento de aliados e sim de adversários.

– ABAIXO O DOCUMENTO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DIRECIONADO A CÂMARA DE VEREADORES SOBRE O PEDIDO DE INTERVENÇÃO NO MUNICÍPIO:

Fonte: Blog Domingos Costa 

Deixe sua contribuição ao portal Carlos Cristiano Noticias! Nosso PIX:

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE